Guy Gavriel Kay, o autor que ajudou Christopher Tolkien a editar O Silmarillion

Guy Gavriel Kay

– Sérgio Ramos

No último parágrafo do Prefácio de O Silmarillion, Christopher Tolkien informa que “na tarefa árdua e cheia de dúvidas de finalizar o texto para o livro, recebi a enorme ajuda de Guy Kay, que trabalhou comigo em 1974 e 1975”.

Guy Gavriel Kay é um autor canadense de fantasia nascido em 07 de novembro de 1954 que, como relatado acima, foi a Oxford para ajudar o filho de J. R. R. T. na difícil missão de transformar a papelada das lendas antigas do legendário tolkieniano numa grande narrativa contínua.

Mas como um jovem escritor canadense, e ainda desconhecido na época, conseguiu o trabalho com O Silmarillion? Tudo graças a conexões familiares: a segunda esposa de Christopher Tolkien é canadense, e as duas famílias se conheciam. Quando Christopher recebeu a posição de executor literário do pai, precisou de ajuda, e foi aí que Kay entrou em cena.

No The Lost Road and Other Writings, 5º volume do The History of Middle-earth, Christopher Tolkien afirma:

É bom mencionar que aqui, como em outros lugares, quase todas as mudanças substanciais foram discutidas com Guy Kay, que trabalhou comigo em 1974-5 na preparação do Silmarillion. Ele de fato fez muitas sugestões para a construção do texto (como no conto de Beren e Lúthien, a introdução de uma passagem da Balada de Leithian) e propôs soluções para os problemas que surgem na elaboração de uma narrativa composta – em alguns casos, de grande importância para a estrutura, como espero que seja mostrado em um livro posterior. A responsabilidade pela forma final publicada reside naturalmente inteiramente comigo.

Depois de trabalhar com Christopher Tolkien, Guy Kay se tornou autor best-seller de diversos romances, incluindo a série The Fionavar Tapestry, The Sarantine Mosaic, entre outros. Seus livros foram traduzidos para mais de vinte línguas ao redor do mundo.

Certa vez, perguntado como Tolkien influenciou seu trabalho como escritor de fantasia Guy Kay respondeu:

As influências são complexas e podem ser inesperadas. Demora muito tempo para responder corretamente. Vou dizer isso: o efeito principal do meu ano de trabalho em O Silmarillion serviu para reduzir o nível de temor e do sentido de uma grande sombra (se eu posso dizer assim, falando sobre isso!) que paira sobre a Alta Fantasia. Como eu vi os falsos começos, os erros, os rascunhos e as reformulações, eu emergi, muito jovem, com a sensação de que O Senhor dos Anéis e seu outro trabalho não tinham simplesmente surgido completamente prontos do alto intelecto de gênio fácil, mas esse longo e diligente trabalho poderia produzir alguma coisa. Fiquei insensível, de certo modo, à intimidação.

Durante sua carreira, Guy Kay recebeu indicações para diversos prêmios e ganhou outros tantos com seus livros.

Trilogia The Fionavar Tapestry.

Anúncios
Esse post foi publicado em Curiosidades e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s